Get in touch

Ibéria aumenta capacidade de banda larga em 25% nos últimos cinco anos

24-06-2021

Um novo estudo solicitado pela DE-CIX, EllaLink e Interxion, levado a cabo pela TeleGeography, destaca a importância de Madrid no mapa da Internet, ao reunir importantes pontos de intercâmbio, data centers, regiões cloud e ligações com os principais cabos submarinos da Península através de Bilbao e Lisboa.

Lisboa – DE-CIX, EllaLink e Interxion, solicitaram à TeleGeography, a realização do estudo “The Interconnection Map of Southern Europe“, que pretende analisar o impacto da expansão de data centers e a crescente presença de fornecedores cloud, bem como a importância dos novos cabos submarinos e pontos de intercâmbio para a transformação da Península Ibérica num ecossistema estratégico de interligação.  

A crescente procura pelo acesso à Internet e, consequentemente, as maiores necessidades de fiabilidade, velocidade e interligação exigidas pelos utilizadores, torna urgente a melhoria das infraestruturas existentes. A redução da latência da rede que permita aproximar as aplicações e conteúdos digitais dos utilizadores finais, é um dos principais focos da indústria. Este é também o desafio que a Península Ibérica enfrenta para o desenvolvimento da Internet do futuro, como ponto de convergência do tráfego de dados entre a Europa, Américas, África, bem como o Médio Oriente e Ásia, com um enorme potencial de crescimento tanto para os utilizadores privados como para as empresas.  

Madrid, o coração do ecossistema da Internet para o Sul da Europa

Desde 2016, a largura de banda no Sul da Europa registou um crescimento anual de 30%, multiplicando a sua capacidade por quase 2,75 neste período, atingindo os 150 Tbps de capacidade entre todos os territórios. Um dos crescimentos mais significativos foi em Barcelona, que aumentou a sua largura de banda em 35% durante este período e atinge agora os 5 Tbps. Madrid, por sua vez, cresceu 18%, com quase 15 Tbps.  

Os data centers, estruturas que albergam e protegem as ligações à Internet em todo o mundo, são um bom exemplo do investimento significativo neste setor nos últimos cinco anos no sul da Europa. De acordo com números da TeleGeography, o número de data centers nas principais áreas metropolitanas no sul da Europa cresceu 19% desde 2016, ultrapassando os 56 até 2020. Um exemplo deste crescimento é Madrid, que apresentou um nível de atividade muito elevado, tornando-se uma região chave que acumula 25% deste tipo de infraestruturas em relação a todas as cidades em análise, e 98.000 metros quadrados de espaço de colocação em data centers em 2020.  

“Madrid está a atrair cada vez mais investimentos consideráveis para a implementação de data centers”, refere Raquel Figueruelo, Diretora de Marketing da Interxion“Devido à sua localização geográfica, capacidade e conectividade com o resto do continente, são cada vez mais os players do mercado a apostar em Madrid para localizar os seus data centers e serviços cloud. Este é o caso da Interxion que já está a trabalhar para abrir o seu quarto data center na capital espanhola, uma infraestrutura que terá 15.000 metros quadrados e uma potência de 30 MW“.  

Internet Exchanges e serviços cloud potenciam o crescimento local e internacional

As Internet Exchanges são o tecido base dos ecossistemas de interconexão e servem como pilares essenciais para a construção da própria Internet. À medida que a procura por uma maior conectividade entre as redes aumenta isto resulta em novas localizações, o mesmo acontece com a procura de pontos de peering distribuídos. Segundo o estudo da TeleGeography, o peering na Europa tem mudado drasticamente nos últimos cinco anos, o número de trocas locais aumentou 47% desde 2016 no Sul da Europa.  

De facto, o DE-CIX Madrid, o maior centro de interconexão neutro da Península Ibérica em termos de número de redes, tornou-se desde a sua inauguração, há 5 anos, uma das rampas de lançamento deste crescimento na zona sul da Europa, que será ainda mais expressivo com a abertura do próximo ponto de intercâmbio em Barcelona. Desde 2016, que Madrid deixou de ter exclusivamente tráfego europeu, as suas ligações com o Norte de África aumentaram até perfazerem neste momento 10% do seu tráfego total. Na verdade, a conectividade com esta região cresceu 72%, e 69% com os Estados Unidos e o Canadá. Segundo o DE-CIX, as redes locais espanholas representam mais de 60% das ligações de Madrid, apesar dos números de crescimento internacional.  

Os dados da TeleGeography mostram também um aumento pela procura de ecossistemas de redes baseados na cloud, que permitem potenciar a conetividade com os mercados do sul da Europa. Se observarmos a região como um todo, em 2016 nenhum dos grandes fornecedores de cloud tinha implementado no sul do continente europeu as chamadas regiões cloud. Em 2020 já existiam dois, e nos próximos dois anos haverá pelo menos oito, dos quais quatro já estão sediados na área metropolitana de Madrid, tendo em conta as futuras regiões cloud da Amazon, Google, Microsoft e OVH.  

A cidade de Barcelona é também um ponto de interconexão em potência com a próxima abertura de um novo ponto de intercâmbio de dados pelo DE-CIX, e a presença de três grandes fornecedores de data centers que darão resposta à crescente procura local daquela que é uma das 10 maiores cidades e mais importantes da União Europeia em termos de população.  

Novas rotas submarinas para ligar a Península Ibérica ao Mundo

Os cabos submarinos são a infraestrutura que alimenta os data centers e os pontos de internet exchanges do continente, com ligações à América, África, Médio Oriente e Ásia. Atualmente, o Sul da Europa conta com ligações através de 45 cabos submarinos, 10 dos quais ligados a Espanha e 9 a Portugal, número que pode vir a aumentar com os seis cabos em vias de serem implementados. Metade dos quais chegarão à Península Ibérica: Grace Hopper para Bilbau, 2Africa para Barcelona e Lisboa, e Equiano para Lisboa.  

Entre as recentes implementações de cabos submarinos, o destaque vai para o cabo da EllaLink que permitirá ligar a América Latina à Europa, o primeiro cabo a ligar diretamente ambos os continentes, e que tem como objetivo impulsionar este mercado emergente ligando-o de uma forma mais eficiente ao velho continente. Com o seu ponto de acesso à península localizado em Lisboa, a EllaLink permitirá também, através de Madrid, reforçar as ligações transatlânticas de Espanha, que por sua vez tem ligações em Bilbao com o MAREA e o Grace Hopper, o cabo submarino anunciado pelo Google no ano passado. Da mesma forma, Barcelona irá acolher o seu primeiro cabo submarino internacional com 2Africa.  

“A construção de cabos submarinos é uma das prioridades para melhorar a interligação em longas distâncias, especialmente para ligar territórios através do oceano“, comenta Diego Matas, COO da EllaLink, “Com a implementação em curso da EllaLink seremos capazes de reduzir drasticamente a latência entre a América Latina e a Europa, encurtando mais do que nunca a distância entre ambos os continentes. Sabemos que as aplicações são muito sensíveis à latência e dependentes desta, as novas latências irão alterar, sem dúvida, a entrega de TI das empresas entre os continentes”. 

Estes projetos tanto reforçam e potenciam as rotas existentes na Península Ibérica como abrem novas rotas e oportunidades para estabelecer uma interconexão cada vez mais diversificadas e de baixa latência. Além disso, os futuros projetos permitem solidificar a crescente influência das redes de conteúdos e o consequente investimento internacional em cloud na região.  

Ivo Ivanov, CEO de DE-CIX International conclui, “A Península Ibérica está pronta para responder à crescente procura de interligação e tornar-se um hub essencial para o tráfego de dados proveniente da América, África, Médio Oriente e Ásia. A crescente sofisticação dos conteúdos e aplicações digitais exige uma infraestrutura de interligação tão próxima quanto possível dos utilizadores finais. Isto assegura a menor latência possível, que se tornou a moeda de troca da era digital, e proporciona uma melhor experiência para pessoas e empresas. Com as nossas novas localizações vamos aumentar a presença de pontos de troca de Internet no Sul da Europa e oferecer novos serviços, bem como a melhor interligação possível.”

Subscribe to receive our news